sábado, 27 de dezembro de 2008

Tinha esquecido a arte dos tercetos

Tinha deixado a torpe arte dos versos
e de novo procuro esse exercício
de soluços

Devo agora rever a noite que te oculta
como pude esquecer que de tal modo
teria de exprimir

tudo o que já esquecera e sopra sobre
mim
como numa planície o crespúsculo

Tinha esquecido a arte dos tercetos
e toda a
outra
mas fechaste-te nela e eu descubro
no seu esse veneno esse discurso

Devo pois ver de novo como muda
como os sinais da voz a noite que perdura
tu deitas-te eu ensino à minha vida
esse extinto exercício

Gastão Cruz, Os nomes desses corpos. Com um desenho de Augusto Gomes. Porto, Inova, 1979

1 comentário:

Uruguaia disse...

(....)

no fundo, o esquecimento é um grande simulacro
ninguém sabe nem pode / ainda que queira esquecer
um grande simulacro abarrotado de fantasmas
esses romeiros que peregrinam pelo esquecimento
como se fosse o caminho de Santiago

o dia ou a noite em que o esquecimento estale
salte em pedaços ou crepite
as lembranças atrozes e as de maravilhamento
quebrarão as trancas de fogo
arrastarão, afinal, a verdade pelo mundo
e essa verdade será a de que não há esquecimento

"El Olvido está Lleno de Memória”
Mário Benedetti