segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

A hora da política (V)

O Presidente resolveu, e bem, autonomizar e antecipar a exigível explicação sobre o seu entendimento acerca do estatuto dos Açores. Limpou assim a mensagem de Ano Novo de um tema que era susceptível de "matar" todos os outros.
Raramente uma Mensagem presidencial de Ano Novo foi aguardada com tanta expectativa. É a última vez que o Presidente se dirige aos seus concidadãos com inteira liberdade, pois a próxima cai em cima do fim de um ciclo eleitoral e do início de um outro, precisamente o das eleições presidenciais. Sendo 2009 um ano marcado pelo debate das alternativas, importará ao Presidente deixar uma palavra sobre a forma como deseja que esse debate seja encarado. Poderá ainda deixar claro que não aceita ser condicionado nas opções que lhe compete fazer sobre o seu próprio futuro político.
Sobre a crise e as suas implicações políticas pouco se tem ouvido o Presidente. Retivemos no entanto o seu apelo ao critério de verdade que pediu fosse respeitado pelas instituições e agentes políticos. É agora chegado o momento de o Presidente deixar ao país, e sobre esta matéria, a sua própria palavra de orientação.

2 comentários:

João Ramos Franco disse...

Agora resta-nos esperar pela mensagem de Ano Novo e com os ouvidos bem abertos tentar perceber o caminho que aponta, como dizes, "a sua propria palavra de orientação".
João Ramos Franco

mentor disse...

"o ano foi até bom"

Lula