sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Procedimentos e negociação

Longa reunião, ontem, dos membros eleitos do Conselho Geral do Instituto Politécnico de Leiria para proceder à cooptação de 10 personalidades externas. Naturalmente, houve a manifestação, por vezes veemente, de pontos de vista diferentes sobre a relevância de uma ou outra personalidade ou da pertinência da sua integração no órgão. Terminada a fase de apresentação de propostas, os conselheiros verificaram que tinham 19 nomes para "acomodar" numa lista de 10. O debate inevitavelmente centrou-se na metodologia. Quem disse que a democracia é fundamentalmente um conjunto de procedimentos?
Concordámos no procedimento, o qual produziu resultados. Mas a democracia não é também negociação? Sem negociação, pode haver legitimidade, a legitimidade da maioria, mas não há "governance", implicação das minorias no exercício das responsabilidades públicas.

3 comentários:

João Ramos Franco disse...

Não existe democracia sem tudo o que mencionas, acima de tudo a paticipação das minorias.
João Ramos Franco

Anónimo disse...

Caro Prof. J. Serra, face a este funcionamento não democrático do Politécnico de Leiria e, em geral, a falta de sensibilidade deste relativamente à ESAD.CR, mantendo-a como uma escola "colonizada" por dirigentes que nada têm a ver com as artes, não seria de pensarmos, de uma vez por todas, na criação de um Politécnico do Oeste?

Joao B. Serra disse...

Caro Anónimo
Estou disponível para discutir esse tema - o fundamento, a oportunidade e a viabilidade de tal projecto. Mas, dada a natureza pública da questão, teremos que adoptar também regras de publicidade e visibilidade nesse debate.