domingo, 30 de novembro de 2008

Interpretação de Eça


Para juntar aqui, a uma "imaginária" colecção queirosiana. Chegado do Porto, adquirida em leilão.

3 comentários:

Anónimo disse...

Para ser sincera, tanto este livro como o anterior não me parece que sejam grandes peças de colecção. Se você pretende começar ou enriquecer uma "queirosiana", decerto com boa intenção, talvez devesse começar por se aconselhar com que sabe mais desse assunto.
MT

Joao B. Serra disse...

É possível que eu não tenha qualquer futuro como contribuinte para uma "queirosiana", como acaba de me ser augurado. Mas se não desistir logo ao primeiro bota-abaixo, como o da minha "advertente" MT, talvez consiga ir mais longe. Vale a pena tentar.

João Ramos Franco disse...

A obra completa publicada no centenário do nascimento de Eça, fazia parte da biblioteca de casa de meu pai. Jovem ainda fui habituado, quando em casa, fazia perguntas sobre escritores que a obra constava da biblioteca, a ter uma introdução paterna ao que pretendia ler e em seguida o ser encaminhado para ler a obra do escritor.
Apesar de ter lido quase tudo de Eça de Queirós, como contribuinte para uma "queirosiana", não arriscaria, esperaria pelos conselhos do João Serra. Acredito num diálogo esclarecedor, li muito é uma verdade, convivi com escritores, mas continuo a aguardar com humildade o ser conhecedor.
João Ramos Franco