quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Pequeno tigre


"um pequeno tigre que nunca se habituou às areias do caixote, mas foi quem primeiro me tomou o coração de assalto"
Eugénio de Andrade

6 comentários:

Submarino Amarelo disse...

Tive um gato. Independente, interesseiro,só se lembrava de mim quando queria alguma coisa: água, comida, areia lavada, um afago. Demasiado parecido com as pessoas. Agora tenho um cão, amigo fiel e incondicional. Gosto dele, mas, às vezes, tenho saudades do gato.

Anónimo disse...

Que lindo gato, boa fotografia. Vai para a minha colecção. Como se chama?
MT

Anónimo disse...

Ode ao gato

Os animais foram
imperfeitos,
compridos de rabo, tristes
de cabeça.
Pouco a pouco se foram
compondo,
fazendo-se paisagem,
adquirindo pintas, graça, vôo.
O gato,
só o gato
apareceu completo
e orgulhoso:
nasceu completamente terminado,
anda sozinho e sabe o que quer.
(...)

Pablo Neruda

Joao B. Serra disse...

Os gatos domésticos sentem-se bem com a presença humana. E mesmo os mais independentes escolhem locais de observação e descanso perto do sítio onde está o seu dono.

Se faz colecção de fotos de gatinhos e vai incluir esta no seu album, pode classificá-la na letra A (A de "Atrevido")

Concordo com Pablo Neruda. Junto as suas palavras à imagem para que ganhe mais força e nitidez.

María disse...

Muito bonitos: o gato e o poema de Pablo Neruda!

Joao B. Serra disse...

No olhar fixo deste pequeno tigre completo e orgulhoso, o fotógrafo registou um reflexo de tudo o que os tornou cúmplices. Para sempre.