sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Alguma coisa não corre bem com a Procuradoria da República em Torres Vedras

Transcrevo da edição de hoje do Público:

Ontem, às 12h26, a autarquia recebeu um fax assinado pela procuradora, com a referência de "muito urgente". No documento ordenava-se a "remoção do conteúdo do computador Magalhães que se encontra exposto frente ao Hotel Império até às 15h30" e remetia-se para um decreto-lei sobre "publicação e comercialização de objectos e meios de comunicação social de conteúdo pornográfico". O processo terá sido desencadeado após queixa apresentada por um cidadão do concelho, alegando que as imagens poderiam chocar as crianças.
Mais tarde, a Câmara de Torres Verdes recebeu nova ordem: entregar o autocolante no tribunal local, o que cumpriu "por respeito aos órgãos de soberania", mas não sem substituir a imagem do ecrã. No monitor do Magalhães agora lê-se "Conteúdo removido/censurado por ordem da senhora procuradora adjunta da Primeira Delegação do Tribunal de Torres Vedras"
.


Machadada certeira no prestígio da magistratura a quem compete defender o Estado de Direito. Até apetece recorrer a uma teoria conspirativa da história.

5 comentários:

João Ramos Franco disse...

Do Publico Ultima Hora: Torres Vedras: Ministério Público recua e autoriza sátira ao Magalhães no Carnaval.

Apesar de este Jornal Diário, actualmente, se parecer mais com veículo de notícias político partidárias, qualquer atitude que me faça lembrar a velha senhora (censura), dá para pensar…
João Ramos Franco

Submarino Amarelo disse...

"...em Torres Vedras" está a mais, não é necessário.
Este é só mais um incidente,motivado por auto-indulgência,incompetência,prepotência, falta de experiência e responsabilidade no exercício do poder dos serviços da Procuradoria G R .Em todo o País,também em directo e ao vivo na televisão, não apenas em Torres Vedras.

PSimões disse...

Com a crescente necessidade do país em receitas fiscais, deveria a Direcção geral de Contribuinções e Impostos criar um Imposto sobre a Estupidez nas suas diferentes formas e asserções. O pagamento era Obrigatório para todos aqueles que se achassem no Direito de poder ser Estupidos.....
Aumentavam as receitas fiscais, e com o tempo talvez chegasse alguma temperança....e porque não probidade

PSimões

MT disse...

Há um desnorte evidente na Procuradoria. Sendo um corpo hierarquizado, pode perguntar-se que instruções vêm de cima. Alguma coisa devia ser discutida sobre estes magistrados que se julgam (e são) inimputáveis. Não há um Conselho Superior da Magistratura, com representantes do poder democrático? E o que andam a fazer os senhores que representam os cidadãos neste Conselho?
MT

António Cardoso disse...

A teoria conspirativa é, pelo menos, coerente com o que tem sido o comportamento dessa magistratura para com este governo. A senhora Procuradora serviu os interesses dos que não se cansam de falar de censura.
AC