segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Territórios

Pela primeira vez na última década, não ouvi os discursos da posse (nem vi aquelas curiosas filas de cumprimentos dos primeiros dias do resto das vidas dos nossos governantes). Estava a 400 quilómetros de distância percorrida entre bancos de nevoeiro. De modo que mal me apercebi dos discursos e, sobretudo, perdi a entoação das vozes, o sentido dos olhares e o ambiente particular. Fiquei com a ideia de que cada um dos protagonistas marcou cuidadosamente o seu território. Com frio calculismo. Sem que por um momento um gesto, uma palavra, um sorriso desse nota da generosidade a que me habituei e que tanta falta nos faz.

2 comentários:

Submarino Amarelo disse...

Perdeu fundamentalmente as entrevistas dos orgulhosos papás e mamãs dos novos ministros que nos proporcionaram momentos de grande ternura... E justificado orgulho nacional!

Anónimo disse...

"Sem que por um momento um gesto, uma palavra, um sorriso desse nota da generosidade a que me habituei e que tanta falta nos faz."

Caro Professor João Serra:

E acha que, nos tempos que correm, isso faz mesmo falta????

No Sudoeste Asiático (agora sem o efeito do "xanax"), e surpreendido com a Influência Portuguesa, por certo outras Gentes...., outra garra e outro sentido das coisas....

Um Abraço e Até para a Semana

PSimões