terça-feira, 14 de abril de 2009

Pensamento em fotografia

Hoje envio um conjunto de grandes pedras perfeitamente encaixadas há décadas numa esquina da Mata.
Na Mata há, como sabem, várias pedras de grandes dimensões - colocadas em geral para evitar a passagem inapropriada de veículos.
Mas este conjunto que fotografei não está no meio de um dos múltiplos caminhos que se nos deparam.
Está num canto, abrigado pela sombra fresca das árvores vizinhas.
Há muitos anos que as conheço e diferencio.
Sempre que as contemplo aprecio a serenidade do seu porte silencioso, enquanto lá no alto o som dos pássaros, acompanhando a eternidade que cabe nesses momentos, desce com a luz por entre os ramos das árvores.
Com o decorrer do tempo foi dando guarida a pequenos fetos, musgos, heras e trevos de flor amarela, que as pintaram progressivamente com vários verdes – vibrantes e profundos.
Como um pequeno jardim secreto e mágico, transmite uma inexplicável sensação de Solidariedade incondicional.
Como a Solidariedade que senti por parte dos meus Amigos ao longo dos últimos meses.
E como um prazer que afinal prolonga outro – a Amizade recebida, transmito-vos a minha Gratidão sob a forma de uma foto – que é também um símbolo da solidariedade recíproca.
Vasco Trancoso: foto e texto 
[Enviados a amigos a 1 de Abril de 2009]

2 comentários:

Submarino Amarelo disse...

YOU'VE GOT A FRIEND
(Carole King - "Tapestry" - 1971))

When you're down and troubled
And you need some loving care
And nothing, nothing is going right
Close your eyes and think of me
And soon I will be there
To brighten up even your darkest night

You just call out my name
And you know wherever I am
I'll come running to see you again
Winter, spring, summer or fall
All you have to do is call
And I'll be there
You've got a friend

If the sky above you
Grows dark and full of clouds
And that old north wind begins to blow
Keep your head together
And call my name out loud
Soon you'll hear me knocking at your door

You just call out my name
And you know wherever I am
I'll come running to see you
Winter, spring, summer or fall
All you have to do is call
And I'll be there

Ain't it good to know that you've got a friend
When people can be so cold
They'll hurt you, and desert you
And take your soul if you let them
Oh, but don't you let them

You just call out my name
And you know wherever I am
I'll come running to see you again
Winter, spring, summer or fall
All you have to do is call
And I'll be there
You've got a friend

Anónimo disse...

"Há palavras que fazem bater mais depressa o coração- todas as palavras- umas mais do que outras, qualquer mais que todas. Conforme os lugares e as posições das palavras. Segundo o lado onde se ouvem -do lado do Sol ou do lado onde não dá o Sol.
Cada palavra é um pedaço do Universo. Um pedaço que faz falta ao Universo. Todas as palavras juntas formam o Universo.
As palavras querem estar nos seus lugares!"
Almada Negreiros

Tal como as palavras, também as pedras, serenas, de porte silencioso, querem estar nos seus lugares, transimitindo "uma inexplicável sensação de Solidariedade incondicional".
Ah, ninguém me diga que as pedras não falam!
MV