sexta-feira, 19 de junho de 2009

Sondagens (de novo)

"Já descobriram o motivo do vosso engano?" - pergunta Maria Flor Pedroso aos representantes das empresas de sondagens que não acertaram nos resultados das europeias. Pedro Magalhães responde:" A única resposta que temos é esta: não conseguimos antecipar as abstenções; sem esse dado, as previsões do voto tornam-se muito mais difíceis."
Aparentemente, os responsáveis pelo tratamento das respostas dos portugueses nunca se colocaram o problema da fiabilidade dessas respostas. Quem lhes garante que um número elevado de eleitores não decide votar em sondagem de maneira diferente da que vota para valer? 

5 comentários:

Isabel X disse...

Sem dúvida! As pessoas mentem. Divertem-se assim, talvez, a subverter os dados e a "estragar" os cálculos de quem julga que tudo sabe e tudo domina, mesmo antes das coisas sequer acontecerem. Quando Jorge Sampaio confrontou Cavaco Silva nas presidenciais, o segundo candidato ficou mais próximo do primeiro do que as sondagens antecipavam, e lembro-me de ter sido dito que os inquiridos não teriam dito a verdade. O momento da verdade é aquele em que estamos a preencher o boletim de voto e, às vezes, até a nós mesmos nos surpreendemos. É por isso que a vida é tão interessante!
Ontem assisti à entrevista de Mário Crespo a Medeiros Ferreira. Adorei! Disse o entrevistado que o mais prejudicado (não será este o termo, mas algo parecido)com as sondagens foi José Sócrates. Durante meses julgou que o seu "estilo" estava a dar muito bons resultados, fiado nas sondagens, sem se aperceber quanto essa percepção estava longe da verdade!
É uma lição de humildade (digo eu) para todos! Espero que todos aprendamos!
- Isabel X -

Submarino Amarelo disse...

Esta é a explicação políticamente correcta e que nos deixa a todos em paz e sossego.
Claro que o facto de a abstenção aparecer nessas mesmas sondagens com valores correctos (sempre + ou - 60%) torna um bocadinho mais difícil acreditar que eles não anteciparam as abstenções... Mas a Fé, que move montanhas, não havia agora de fazer esquecer umas sondagenzitas?!
Também vi a entrevista de Medeiros Ferreira com muito agrado, ele é um homem culto, divertido e com tiradas cheias de humor, como essa que a Isabel refere!

Isabel X disse...

Deve ser a primeira vez que alguém considera uma resposta minha "politicamente correcta"! Deve ser da idade... Normalmente até dizem que eu sou do contra e que é esse critério que preside a tudo o que digo.
Já agora, porque é que o que eu digo há-de deixar "em paz e sossego" seja quem for?
Que as sondagens acertem umas vezes e outras não, ainda bem!
Que as pessoas sejam imprevisíveis, óptimo!
Que José Sócrates tem um "estilo" execrável, sem dúvida!
Que devemos aprender com o que acontece, é o mínimo que podemos fazer!
Concordo com o Submarino Amarelo que o nível da abstenção já tinha sido calculado muito aproximadamente antes das eleições. O dos votos em branco é que talvez não.
- Isabel X -

Submarino Amarelo disse...

Cara Isabel:
O meu comentário era ao post, não ao teu comentário! A resposta "políticamente correcta" era a desculpa do Pedro Magalhães referindo a abstenção que, como dizes e muito bem, é absurda porque eles conheciam a abstenção, foi a única coisa em que acertaram...
Somos muito maltratados pelo poder (político e económico) e pela comunicação social, que nos falam como se fossemos idiotas (se calhar às vezes somos!).
Só no último parágrafo concordava contigo no elogio à entrevista, talvez daí a confusão.

Isabel X disse...

Caro Submarino Amarelo,
Pois... Tive quase a certeza que desta vez era comigo, não só pela referência à entrevista de Mário Crespo a Medeiros Ferreira, como porque o post do João terminava com uma pergunta à qual eu respondia: "Sem dúvida! As pessoas mentem."
É assim mesmo: as coisas estão cheias de equívocos. Mas fico contente. Ainda não foi desta, apesar da idade, que me consideraram "politicamente correcta".
- Isabel X -