sábado, 15 de maio de 2010

15 de Maio

Sessão solene municipal assinalando o dia da Cidade e do Concelho das Caldas da Rainha. O formato aproxima-se agora mais de uma jornada celebratória, ou por via do local onde se realiza - o Centro Cultural e de Congressos - ou por via, enfim da concordância dos "eternos" protagonistas com a ideia de que as arestas do discurso político investem contra o consenso próprio do dia e da cerimónia de exaltação cívica. O salão nobre da Câmara pequeno, atarracado, pejado de colunas que interrompem a visão, com uma apresentação amadorística e descuidada, foi substituído pelo Auditório principal do CCC: conforto, apresentação profissional e cuidada, antecedida de apontamento musical, em suma, ritmo e conforto. Se os protagonistas do dia são os homenageados, personalidades, instituições, empresas distinguidas com as medalhas de mérito municipal, os dirigentes políticos devem compreender que estão ali para sublinhar e não para disputar o palco e as palmas com os condecorados. Foi bom que todos eles tivessem hoje aceite essa condição de representantes da comunidade que homenageia, o que, aliás, só os honra.
Este ritual de atribuir no dia da cidade um galardão cívico simbólico não é um ritual vazio. Tem um efeito pedagógico e mobilizador, cuida do exemplo e manifesta reconhecimento e gratidão públicos. Exalta a virtude cívica, a dádiva generosa à res publica. Por isso não tem justificação distinguir as longas carreiras apenas pelo facto de se terem cumprido, e os seus actores terem assegurado as funções e tarefas a que estavam obrigados. A medalha municipal deve apontar o exemplo do cidadão que acrescentou alguma coisa, na sua vida pública, ao que lhe era exigido, somando-lhe uma disponibilidade para servir a comunidade, para intervir enquanto cidadão.
Uma última nota para me congratular com os condecorados, abraçar aqueles que tem dado a sua colaboração inexcedível em projectos em que eu também tenho estado envolvido (Drs. Nicolau Borges e Isabel Xavier) e felicitar a Dr.ª Isabel Xavier, Presidente da associação "Património Histórico" pela sua excelente lição histórica sobre o Hotel Lisbonense e os desafios do turismo caldense no último século.

5 comentários:

Isabel X disse...

Bem... nem sei que diga! Não esperava nota tão alta. Este excelente, vindo de quem vem, assim ao fim do dia, é o melhor do dia.

Claro que a medalha, os projectos, "a excelente lição histórica" fazem parte de um conjunto, do qual o João é grande responsável.

Nem que seja por eu tentar merecer aquilo que foi (e será) sempre obra sua - o PH.

Também eu gostei muito de estar tão bem acompanhada, pelo Nicolau Borges, pelo Nuno Valadas, grandes amigos, na condição de homenageados.

Sou-lhe muito grata, sempre, João!

- Isabel X -

Anónimo disse...

Duplamente grato, pela presença e palavras, sempre generosas e, no domingo á noite nos Patudos, pelo excelente serão.....sempre a surpreender...
NB

Rui disse...

Merecidíssima a nota e merecidíssimo o galardão. Divertiu-me que a Isabel, fugindo de algum modo à encomenda que lhe havia sido feita, não tenha resistido a abandonar momentaneamente a sua narrativa estritamente historiográfica e tenha proporcionado, na circunstância, uma ou duas pertinências que a todos deveriam preocupar. É, de resto, lastimável que se revele ser indispensável hoje, tantas vezes, que alguém tenha a audácia de lembrar o óbvio.

Isabel X disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
João B. Serra disse...

Removi o comentário mais recente de Isabel X, a seu pedido.